Projeto Bebês Prematuros: Estimulação ao Desenvolvimento e Apoio Emocional às Mães


SORRI-BAURU, em parceria com a UNESP Bauru, inicia projeto que pretende contribuir com os Programas nacionais de Estimulação Precoce


A prematuridade e o baixo peso são fortes indicadores de problemas futuros no desenvolvimento da criança. Preocupada com isso, e sabendo que os programas de intervenção centrados na família têm apresentado melhores índices de resultado, a SORRI-BAURU em parceria com a Professora Dra. Olga Maria Piazentin Rolim Rodrigues , do Departamento de Psicologia da UNESP Bauru, elaborou um projeto que pretende contribuir para ações efetivas dos Programas de Estimulação Precoce do Brasil.

Aprovado pelo PRONAS/PcD, o projeto “Bebês Prematuros: Programa de Estimulação ao Desenvolvimento e Apoio Emocional às Mães” é patrocinado pelo Itaú, Lwarcel Celulose, Paschoalotto, Tilibra, Finamax e Lupo e pessoas físicas. Publicado pelo Ministério da Saúde no Diário Oficial da União em agosto de 2016, os recursos destinados ao Projeto foram liberados em janeiro de 2018. Sendo assim, em fevereiro deste ano, foram iniciadas as atividades previstas no plano de execução.

Nesses primeiros meses, a equipe responsável pelo Projeto já recebeu diversos treinamentos, foram adquiridos os devidos materiais e equipamentos necessários e iniciadas as avaliações dos primeiros bebês. 

Os contatos com os familiares dos bebês que nascem prematuros são fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde de Bauru, que com essa parceria tem papel fundamental no sucesso do projeto. A partir daí, são feitos os primeiros convites e triagem para a participação e acompanhamento das famílias pela equipe da SORRI-BAURU, sob orientação da Profª Dra. Olga Maria Piazentin Rolim Rodrigues, e tendo à frente, além dela, as Supervisoras de Reabilitação Juliana Antoniucci, Patrícia Bueno e Luciana Marçal e a Monitora do Projeto Janaina Senhorini dos Santos, fisioterapeuta Mestre em Distúrbios da Comunicação pela Unesp Marília.

Até 2020, o Projeto espera promover o desenvolvimento físico, social, perceptual, cognitivo e de linguagem de 150 bebês prematuros, identificar indicadores emocionais das mães desses bebês e preparar as equipes da Saúde da Família para avaliar e identificar as necessidades desse público, segundo os padrões que serão estabelecidos nos protocolos que resultarão do projeto, e procederem à estimulação precoce realizando os encaminhamentos que forem necessários.